O SERVO ESCLARECE

 

“Saulo, porém, assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, encerrava-os no cárcere. ” (At.8:3).

“Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam.” (At.16:25).

 

     Os irmãos que já servem ao Senhor a mais tempo sabem que estes dois textos falam da mesma pessoa, pois Saulo é Paulo. O primeiro texto, retrata Saulo antes de sua conversão ao Senhor e o segundo se refere a um fato ocorrido após sua conversão. O fato do Livro de Atos relatar dois nomes diferentes para um mesmo personagem tem levado muitos irmãos ao erro de acharem que Deus mudou o nome de Saulo para Paulo após a conversão deste. Isto nunca aconteceu. Na verdade Saulo é o nome hebreu (na verdade para alguns é a forma grega do nome hebreu Saul), enquanto que Paulo era o nome latino, romano, dele, ou como dizem alguns, era o seu cognome. Isso fica claro no texto de Atos 13:9a que diz: “Todavia, Saulo, também chamado Paulo, cheio do Espírito Santo...”. Ter um nome e um cognome não era incomum naquela época, veja At.1:23, At.12:25, At.13:1 e Cl. 4:11. É evidente que Paulo desejou fazer uso do nome que lhe identificava com os gentios e isso podemos concluir observando que ele se apresenta como Paulo no início de suas cartas pastorais, veja Rm.1:1, ICo.1:1, IICo.1:1 e Gl.1:1 dentre outras. Talvez ele desejava ser assim identificado pela natureza do seu chamado como “apóstolo dos gentios”. Uma coisa é certa, não foi Deus quem mudou seu nome!

Irº. Fábio Pereira - Ramá –Lt.XV – B. Roxo – RJ

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg