Petrópolis, 31 de Dezembro de 2016
 
O SERVO ESCLARECE:

 

Por isso vos declaro: Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada” (Mt.12:31).

 

Afinal de contas, qual é o pecado contra o Espírito Santo? Normalmente, esta pergunta é movida pelo medo de, por um descuido, falar ou fazer algo que nos condenará ao sofrimento eterno, sem termos a oportunidade de perdão. Calma! Não é assim que se peca contra o Espírito Santo! Vejamos: Jesus tinha acabado de libertar um homem de um espírito maligno e quando fez isto o homem que era cego e mudo, ficou curado (v.22). Neste momento, Jesus foi acusado pelos fariseus de fazer aquela obra pelo poder de Belzebu (v.24). Chega então o momento que Jesus cita o verso que estamos analisando (v.31). Ao meu ver, o pecado contra o Espírito Santo não é meramente atribuir aos demônios às obras do Espírito; é antes fazer isso com consciência de que aquela obra realmente é feita por Deus através do Espírito Santo, e mesmo assim se opor a Deus. Não é meramente um deslize. Jesus já tinha realizado muitos milagres que testificavam que Ele era o Filho de Deus e mesmo assim os fariseus planejaram matar o Cristo (v.13 e 14). Pecar contra o Espírito é fazer basicamente o que Satanás fez, ver a Glória de Deus e se opor a ela. Note que se alguém blasfemasse contra o Filho do Homem teria perdão, talvez alguém não conseguisse ver na simplicidade de Cristo, provas de Sua Divindade, mas blasfemar contra uma ação feita por Jesus através do poder do Espírito Santo seria imperdoável (v.32). Esta condenação estaria ligada a um grau de consciência muito elevado e não apenas a uma ignorância religiosa.

Ir. Fábio Pereira Ramá – Petrópolis

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg