O Servo esclarece

 

“Escreveu ali em pedras uma cópia da lei de Moisés, que já este havia escrito diante dos filhos de Israel” (Js.8:32).

 

Moisés sem dúvida foi um dos líderes mais influentes do povo de Israel. Sua maior contribuição ao mundo é a elaboração da obra que denominamos: Pentateuco, que é o conjunto dos cinco primeiros livros da Bíblia (Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio).

Embora alguns estudiosos duvidem, o texto de Josué 8:32 afirma a autoria de Moisés. A maior confirmação para os cristãos, entretanto, vem dos lábios do próprio Senhor Jesus que também atribuiu a Moisés tal obra (Mc. 1:44 e Mc. 12:26).

O leitor mais familiarizado com o texto bíblico observará que no capítulo de número 34, que é o último do livro de Deuteronômio (último livro do Pentateuco), está registrado a morte de Moisés. É evidente que Moisés não registrou sua própria morte. Será que este fato poderia invalidar a tese da autoria mosaica do Pentateuco? Josué e Jesus teriam cometido um equívoco ao atribuir a Moisés tal obra? Certamente que não. O que fica claro para nós, ao observarmos o registro da morte de Moisés é o fato de que alguém, provavelmente Josué ou Eleazar, acrescentaram o obituário dele ao final daquela grande obra. Esta atitude, não era incomum naquela época, principalmente em relação a um personagem de grande relevância para o seu tempo, e certamente este era o caso, pois Moisés foi um dos maiores líderes de todos os tempos. A obra de Moisés ultrapassou os limites geográficos e culturais, contribuindo com a base da fé judaico-cristã que influenciou todo o mundo. Ir. Fábio Pereira/Ramá –Petrópolis

Errais, não compreendendo as Escrituras... Mt.22:2

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg