ENTREVISTA

O jornal O servo entrevista nesta edição, o Irº. Rodrigo de Paula da Comunidade Ramá em Sta. Cruz da Serra.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O servo: Sabemos que o irmão é militar. Como foi seu ingresso nas Forças Armadas?

Irº. Rodrigo: Sempre sonhei ser militar desde pequeno, nunca imaginei fazer outra coisa. Primeiro concurso que fiz foi para a Escola de Cadetes do Ar (Epcar), não fui bem-sucedido. Um pouco mais velho e com a mente um pouco mudada, optei por fazer um concurso do Exército; mais uma vez não fui bem-sucedido. Por fim, cedi à ideia de ir para a Marinha (minha última opção), pesquisei quais tipos de concurso poderia fazer e como era a rotina de vida a bordo. Então conheci o Corpo de Fuzileiros Navais, tropa de elite da Marinha. Meu ingresso se deu no ano de 2013.

O servo: É difícil conciliar a sua fé cristã com a vida de Fuzileiro Naval?

Irº. Rodrigo: Não é difícil a partir do momento que você entende que antes de um homem de guerra deve ser um homem de Deus. Um cristão que é Fuzileiro Naval e não o contrário. Sendo uma luz para esse meio militar frio, místico, e às vezes, sombrio.

O servo: Já teve alguma experiência com Deus em algum momento durante o exercício de suas atividades militares?

Irº. Rodrigo: Já tive experiências de livramentos em combate real no complexo de favelas da Maré. Além de cura e cuidado de Deus quando eu fazia o curso de formação militar, pois tive pneumonia durante o curso de 4 meses, tendo que ser internado às pressas, mas voltei ao curso e me formei, pela Graça de Deus!

O servo: Você já foi em missão para outro país? Se não, você tem o desejo? Existe alguma possibilidade real próxima?

Irº. Rodrigo: Estive em Porto Príncipe, no Haiti, em 2014. Tenho o desejo de participar de outras missões no exterior, mas somente se eu tiver convicção e direção de Deus; para não ser apenas mais uma viagem ou para ganhar dinheiro.

O servo: O irmão tem oportunidade e liberdade de cultuar a Deus no quartel?

Irº. Rodrigo: Sim. Fazemos cultos às terças e quintas feiras no horário do almoço, e é lindo ver pessoas se reconciliando com Deus naquele lugar, e crentes, às vezes, enfraquecidos na fé sendo reacesos e edificados. Não tem preço!

O servo: Você é membro da Comunidade Ramá em Santa Cruz da Serra, mas também tem servido ao Senhor ministrando louvor na Comunidade Ramá em Lote XV. Como tem sido esta experiência?

Irº. Rodrigo: Tenho sido tratado e abençoado por Deus e pelos irmãos! É um prazer ministrar ao Senhor junto com os irmãos. Para uma pessoa como eu que sonhava e queria ser reconhecido pelo mundo, antes de conhecer a Cristo, tenho aprendido de Deus que verdadeiramente maior é aquele que serve. Agradeço pela oportunidade, tenho sido aperfeiçoado!

O servo: Deixe uma palavra para os irmãos.

Irº. Rodrigo: Vale a pena servir ao Senhor, simplesmente por quem Ele é. Medite no Salmos 118:14 – “ O Senhor é a minha força e o meu cântico; tornou-se a minha salvação.” Graça e Paz!

 

 

 

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg