ENTREVISTA 
 
    O jornal O servo entrevista nesta edição a Irª. Amanda Bussinger, da Comunidade Ramá em Florianópolis – SC.

 

 

 

 

 

 

 

 
 
 

 

 

O servo: Como foi a sua mudança e adaptação para Florianópolis após o casamento com o Pr. Gabriel?

Irª. Amanda: No começo, claro que senti falta dos meus pais e amigos, principalmente os da igreja. Mas o Gabriel sempre me ajudou na socialização. Até antes de me mudar ele fez questão de me apresentar os amigos e pessoal da igreja para que eu não me sentisse “um peixe fora d’água”. Sempre fui muito bem recebida por todos, e isso me ajudou bastante. O esporte (em especial o futebol) e a igreja também me ajudaram bastante para desenvolver socialização e amizades. Eu vim para Santa Catarina sem emprego, então tive uma rotina bem diferente da que vivia em São Paulo. Mas no geral, vejo que me adaptei bem e até rapidamente. Gosto muito de morar aqui. 
 
O servo: Conte-nos um pouco sobre a obra de Deus no Sul?

Irª. Amanda: A obra no Sul envolve as igrejas de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. São 4 igrejas (Santo Amaro da Imperatriz, Alvorada, Pelotas e Rio Grande). Além destas, no bairro onde moramos, em Florianópolis, temos feito estudos bíblicos e discipulados. Tem dado bons frutos. Tem muita gente ali com sede da Palavra. É lindo de ver! Isso tem renovado nossa fé. Temos visto que ali é um lugar onde o Senhor tem mandado jogar as redes. Mantemos as Ceias do Senhor com as 4 igrejas a cada 2 meses. Vemos o quanto a comunhão é importante e quem participa é fortalecido. Louvamos a Deus por poder participar dessa obra!  


O servo: Como foi a organização do retiro em Florianópolis? 
Irª. Amanda:  Esse é o segundo retiro que fazemos em Florianópolis para toda a Comunidade Ramá. O primeiro foi em 2018. Este ano embora com alguns imprevistos, que vou citar adiante, foi um pouco mais fácil no sentido de organização, porém mais trabalhoso. Baseada na experiência do ano passado, antecipei os cronogramas, planilha de divisão dos quartos, equipes das gincanas, metodologia de pontuação, regras, escalas de ministrações, etc, de forma mais detalhada para melhorar a organização do “staff” e também dos retirantes. Este ano nossa equipe estava reduzida, pois alguns irmãos daqui não foram para o retiro, e para nossa surpresa o Gabriel não estaria nos dois primeiros dias, pois foi marcado um jogo da final de um campeonato para a data do retiro. Outro imprevisto foi minha mãe que estava em casa já hospedada para o retiro, teve uma complicação de saúde e foi internada na noite de saída para o retiro. Mas isso não poderia me desanimar. O Senhor me encheu com força e confiança para seguir. Todos os irmãos presentes foram muito solícitos para ajudar nas tarefas, e juntos conseguimos cumprir as atividades propostas no cronograma. Sem dúvidas que sem a mão do Senhor nada poderíamos fazer. E tudo foi feito para honra e glória do Senhor. Já tivemos bastantes “feedbacks” positivos do retiro, foi um momento de comunhão muito bom, fomos edificados pelas Palavras e compartilhamentos.  
 
O servo: A que você atribui o bom êxito desse retiro? 
Irª. Amanda: Quando Deus é o centro, as coisas dão certo. Esse é o grande segredo! 

76661219_2617291364976754_34419227960016
240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg