Igreja é perseguida também no Chile

Igrejas queimadas e congregações ameaçadas no país nos últimos anos

 

  Na região de Araucanía, ao sul da capital Santiago, no Chile, 27 igrejas foram queimadas nos últimos anos. Os ataques

foram realizados pelo grupo radical indígena Weichan Auka Mapu. O grupo supostamente defende os direitos dos mapuches, uma tribo ancestral que vivia no país antes da colonização espanhola. Mas hoje os mapuches são formados por 87% de cristãos, entre católicos e protestantes.

  Vinte igrejas (12 católicas e 8 protestantes) foram queimadas entre 2015 e 2016 e outras sete, em 2017. Muitas delas serviam também como escolas e abrigos para pessoas deslocadas devido a desastres e eram frequentadas pelos próprios mapuches. Juan Mella, presidente do conselho de pastores da região e pastor de uma igreja queimada em julho, lembra claramente o momento em que sua igreja de madeira foi reduzida a cinzas. Ela havia sido construída 15 anos atrás com dinheiro levantado pelos próprios fiéis.

  O caso que se tornou mais notório, quando homens mascarados invadiram o culto de domingo de uma igreja e a incendiaram, foi o único que levou a prisões até agora. Quatro homens foram detidos e estão sendo investigados por possível ligação com o Weichan Auca Mapu, que exige a libertação de prisioneiros mapuches e reivindicou a autoria dos ataques. Eles deixaram uma mensagem escrita na igreja: “Cristianismo, cúmplice da repressão do povo mapuche”.

  Em setembro, mais quatro igrejas foram queimadas e outras congregações, ameaçadas. Isso levou a polícia a colocar guardas nas duas igrejas da região. Luis Torres, o advogado de acusação dos quatro detidos, diz: “Além dos ataques, há os panfletos que eles deixam com suas exigências e justificativas do comportamento”. Devido à pressão da advogada de defesa, Pamela Nahuelcheo, o governo decidiu em outubro que os homens seriam acusados apenas por incêndio e não por terrorismo. Desde então já houve duas audiências.

  O conselho de pastores de Araucanía publicou uma nota, dizendo: “É responsabilidade do Estado garantir que eventos como esses não aconteçam novamente, assegurando que justiça seja feita aos responsáveis, assim como protegendo as vítimas e garantindo que a igreja seja reconstruída”. Ore pelos cristãos perseguidos do Chile que tiveram suas igrejas destruídas. Clame por sabedoria para os pastores, líderes cristãos e advogados e para que a justiça de Deus se manifeste.     

 

(Portas Abertas)

COMUNIDADE RAMÁ SANTA CRUZ DA SERRA

RUA PERNAMBUCO – ALAMEDA 3

PR. CARLOS HENRIQUE (21) 970433528

COMUNIDADE RAMÁ NOVA FRIBURGO

ESTRADA MURY LUMIAR KM 18,5

PR. PAULO SILAS (22) 98824 – 2291

COMUNIDADE RAMÁ PETRÓPOLIS

ESTRADA DO PARAÍSO 26 –  SARGENTO BOENING

PR. LUIS HENRIQUE CARIUS (24) 99268-2075

COMUNIDADE RAMÁ LOTE XV

ESTRADA MANOEL DE SÁ, 137 – 3º ANDAR GALERIA XV

PR. FÁBIO PEREIRA (24) 98864 – 7362

COMUNIDADE RAMÁ RIO GRANDE DO SUL

RUA DOM BOSCO, 403 – CIDADE NOVA

RIO GRANDE – RS.  PR. NILSON DELEON (53) 9966 – 0552

COMUNIDADE RAMÁ ALVORADA -RS

RUA FERNÃO DE MAGALHÃES, 206 – FORMOSA

PR. TAYLOR (51) 8443-5363

COMUNIDADE RAMÁ PARQUE PAULISTA

RUA 19 C/ 34 – DUQUE DE CAXIAS

PR. FRANCISCO DJALMA (21) 3666-0172

COMUNIDADE RAMÁ VILA ISABEL

RUA SÃO FRANCISCO XAVIER, 637

PR. FRANCISCO COSTA (21) 99590 – 7287

COMUNIDADE RAMÁ PATY DO ALFERES

RUA 15 Nº 100 – ARCOZELO

PR. NILSON (24) 9 8831-9311

COMUNIDADE RAMÁ XERÉM

TRAVESSA MÁRIO BARBOSA Nº 24 CASA 06 – MANTIQUEIRA

PR. MARCOS PAULO  (21 ) 981547342

COMUNIDADE RAMÁ QUITANDA

RUA DA QUITANDA, 111 2º ANDAR

PR ÉRICO R BUSSINGER (21) 2621 – 4020 / 2622 – 7523.

COMUNIDADE RAMÁ PELOTAS -RS

RUA 13, 603 – GETÚLIO VARGAS

MOISÉS ALVES (53) 8405 – 4925

 

© 2017Jornal o Servo. Comunidade Ramá

  • Blogger Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon