Como sair de um conflito

 

     Anunciado ou não, o conflito se instala. O prejuízo se avizinha, tanto para as relações, quanto para as tarefas que em comum se desenvolvem.

Você pode se entrincheirar nas suas razões, sejam pessoais, institucionais, morais e até legais. O outro lado também. Nesse caso, só haverá perdedores.

     Que tal seguirmos por outro caminho? Veja qual foi o seu papel para dar início ou acirrar a crise. Se você tem parte nela, assuma.

Pergunte-se a si mesmo se está tratando a outra parte do conflito como gostaria de ser tratado.

     O mais importante não é você vencer ou perder. O mais importante é o conflito ser solucionado. Invista as suas energias nisto.

Esclareça as questões envolvidas. Não pressuponha isto ou aquilo em relação ao que o outro pensa ou faz, sem antes esclarecer as questões face a face.

     Admita que você pode não estar com a razão, podendo nesse caso a razão estar com outro lado. Isso pode acontecer. Nós nos equivocamos. Não só o outro se equivoca.Tenha em mente a missão ou a causa maior na qual você está envolvido. Talvez você ganhe a questão, mas perca a causa. A causa, o objetivo, o alvo, a missão, é mais importante.

    Creia que a verdade prevalecerá sem você precisar esbravejar. É claro que você deve ser firme nas suas convicções e nos seus procedimentos, mas, tendo um objetivo maior você pode ser ainda mais paciente. Se o conflito for com pessoas, lembre-se que elas passarão - você, inclusive, passará. A causa ou a missão, esta ficará, porque ela é que deve importar.

Por ela, devemos ceder, recuar, perdoar. Eis a verdadeira vitória.

 

Reproduzido do site Prazer da Palavra, do Pr. Israel Belo de Azevedo (Ig. Batista Itacuruça – Tijuca – RJ), que pode ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

240819-uTbUsOQtPDd4H.jpg